Roteiro Memórias de Fazendas é testado em Luisburgo em propriedades cafeeiras
Banner
 
Banner
Roteiro Memórias de Fazendas é testado em Luisburgo em propriedades cafeeiras

  O roteiro turístico “Memórias de Fazendas: O Velho Chico e a Beija-Flor”, que envolve visitas a propriedades produtoras de café especial, foi testado em Luisburgo. Ele foi planejado por alunos do Programa Agente de Turismo Rural, do Sistema Faemg / Senar Minas, que conta com a participação de 11 pessoas ligadas ao turismo na região de Manhuaçu.

    O roteiro teve como principais atrações visitas ao Sítio Velho Chico, que tem café premiado, e à Fazenda Beija-Flor, que produz açúcar mascavo, rapadura, cachaça e biscoito de polvilho, entre outros. Participaram do evento dez alunos e seis convidados, entre eles o prefeito de Luisburgo, José Carlos Pereira, o presidente do Sindicato de Produtores Rurais de Manhuaçu, Antônio Teodoro Dutra e a mobilizadora de cursos e programas do Senar na região, Isaura Paixão.
Manhuaçu e cidades vizinhas são municípios movidos pela cafeicultura e é com foco nesse setor que o Sistema Faemg / Senar Minas levou o programa para a região. Ao longo de seis meses, a turma formada por produtores rurais e representantes da administração municipal de Luisburgo, Manhuaçu e Reduto está aprendendo sobre importantes temas e desenvolver habilidades para estruturar e impulsionar o turismo com base na Cafeicultura.

   Sítio Velho Chico

    A excursão saiu de ônibus da Praça Doutor César Leite, no Centro de Manhuaçu. Além das fazendas de café, o caminho permitiu ver montanhas e conhecer riachos. Primeiro, o grupo foi até o Sítio Velho Chico, no Córrego da Gameleira. O nome é uma homenagem ao avô dos proprietários, Francisco, que era muito querido na comunidade.
   Localizada a 820 metros de altitude, o sítio tem uma bela vista das montanhas que compõem a cadeia de picos de granito conhecida como Pontões, que circundam as lavouras de café, conforme descreveu o aluno Sebastião Fernandes, presidente do Comtur. Adepto da agricultura agroecológica, o Sítio Velho Chico produz cafés especiais, frutas, fubá, ovos e produtos caseiros.
   Os proprietários Hobermayer e Aline Amaral ofereceram café da manhã, com degustação de cafés especiais produzidos na fazenda e produtos locais. Após uma breve explicação de como são produzidos os cafés especiais e os cuidados exigidos pela agência certificadora, o grupo fez um tour pelos cafezais, onde aprenderam um pouco mais sobre produção e colheita dos grãos.
    O passeio encerrou-se com a visitação do lago, da nascente de água protegida pelo programa Olhos D´Água, da produção de ovos caipiras, além da estufa e instalações de preparo, secagem, limpeza e envase dos grãos.

Fazenda Beija-Flor
    O segundo passeio foi à Fazenda Beija-Flor, no Córrego Santa Rosa, onde o grupo foi recebido pelos proprietários Maria e Osmair Noronha, que contaram a história da fazenda e ofereceram almoço com comida mineira.
Na propriedade, há produção de café tradicional, de cana-de-açúcar para fabricação de aguardente, açúcar mascavo, melado e rapadura, mandioca para fabricação de farinha e polvilho e também suinocultura. Produtos como aguardente, rapadura, melado, açúcar mascavo, farinha de mandioca, polvilho e biscoitos no forno à lenha são comercializados. Há ainda quintal de frutas diversas e uma cachoeira.
   Após o almoço, os turistas foram conduzidos ao setor de produtos da cana-de-açúcar, onde puderam presenciar o processo de moagem da cana e produção de rapadura, melado e açúcar mascavo, com degustação de “puxa-puxa”. Em seguida, foram ao pomar e saborearam jabuticabas e goiabas colhidas dos pés.
   O tour nos cafezais e no canavial foi feito a bordo de carreta acoplada a um trator agrícola multiuso. Depois os visitantes assistiram a todas as etapas da produção de farinha de mandioca, polvilho e do tradicional “biscoito maluco”.
   A última atividade foi uma visita à cachoeira e, no percurso, o grupo conheceu o setor de suinocultura e as dependências da fábrica da cachaça Beija-Flor. À tarde, a excursão foi finalizada com o retorno ao ponto de partida, em Manhuaçu.
   “A participação das famílias nos processos e no atendimento acolhedor foi o ponto forte do roteiro. Outros três roteiros estão em fase de elaboração no município de Manhuaçu”, contou a instrutora e turismóloga Fernanda Correa da Silva.
   As visitas às propriedades já podem ser agendadas diretamente com as proprietárias:
   Velho Chico - Aline (33) 9953-2342
    Beija-Flor - Maria Noronha (33) 8853-7196.

   Turismo Rural

    O treinamento aborda temas como segurança, condução de turistas, alimentação, hospedagem e planejamento de eventos, além de catalogar as potencialidades turísticas da região. O objetivo é preparar profissionais com visão de negócio para fomentar o turismo rural, colaborando para o desenvolvimento econômico, social e ambiental.
   Segundo a instrutora, o turismo rural é uma modalidade nova no Brasil e mais recente ainda em Minas Gerais. “Existe uma carência de profissionais capacitados, principalmente em regiões onde o turismo não é uma das principais atividades econômicas. Além disso, as comunidades têm dificuldade em perceber que o turismo é um negócio e precisa ser encarado como tal”, explicou.
    Após o programa, os agentes poderão atuar regionalmente e de forma integrada com a comunidade, poder público e iniciativa privada. “Diversos são os benefícios, como o fortalecimento da economia, mas também há a preocupação em manter a cultura local, a fixação do jovem no campo, a preservação dos recursos naturais e culturais, o incremento nas atividades produtivas e melhoria da qualidade de vida das comunidades”, destacou

Assessoria do Senar Minas
 
Banner
Banner
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner