Suspeitas de sarampo são investigadas em cidades da região
Banner
Suspeitas de sarampo são investigadas em cidades da região

   Sete cidades da Zona da Mata estão com casos suspeitos de sarampo em investigação. As notificações foram divulgadas na segunda-feira (24) no boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e são referentes à primeira quinzena de setembro.

   De acordo com o documento, os casos foram registrados em Espera Feliz, Eugenópolis, Juiz de Fora, Muriaé, São João Nepomuceno, Senhora dos Remédios e Viçosa. Está em investigação um caso em cada um dos municípios.

  Segundo portal G1, foi feito contato com todas as secretarias de Saúde das cidades. As prefeituras de Juiz de Fora e Viçosa responderam à solicitação.  Em relação aos casos de Eugenópolis e Viçosa, que já constavam no boletim anterior, seguem em investigação. Constam registros de dois casos descartados em Muriaé e três em Visconde do Rio Branco, também na Zona da Mata.

  O Brasil atingiu a meta geral de vacinação de crianças contra sarampo e poliomielite estabelecida pelo Ministério da Saúde. O governo era pretendia vacinar 95% do público-alvo (crianças de um a cinco anos). Segundo o balanço final, a cobertura vacinal ficou em 95,4% para a pólio e 95,3% para sarampo, totalizando 10,7 milhões de crianças vacinadas.

  Retornos das prefeituras

  De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora, o caso que consta em investigação no boletim também foi descartado. O resultado dos exames foi encaminhado pela Fundação Ezequiel Dias (Funed) ao município após a publicação do boletim, portanto, deve ser confirmada na próxima atualização da SES-MG. Outros dois casos na cidade também constam no documento, ambos descartados.

  A Prefeitura de Viçosa disse em nota que apesar de ainda constar como um caso suspeito no boletim, a ocorrência registrada na cidade “foi clinicamente descartada”. O Executivo explicou que trata-se de um menino de 10 anos que deu entrada em um dos hospitais da cidade com alguns sintomas que, inicialmente, o corpo clínico do hospital diagnosticou como suspeita de sarampo.

  O hospital notificou a suspeita à Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde do município que, por sua vez, alertou à SES-MG. “Esse protocolo de notificação é regra e por isso Viçosa aparece no boletim. Acontece que, algumas horas depois, no mesmo dia (31/08), o hospital informou à Vigilância que o caso havia sido descartado pelo corpo clínico do hospital, inclusive a criança ganhou alta e foi liberada”, diz o texto.

G1/ Globo.com

 
Banner
 
Banner
Banner
Banner

Notícias da TV

Banner
Banner
Banner

Reflexão do Dia